Governo do Estado do Rio Grande do Sul
Início do conteúdo

Governo em Rede aborda Dia D de vacinação contra gripe

Publicação:

Secretário Francisco Paz fala de vacinação e de toxoplasmose entre outros temas da saúde
Secretário Francisco Paz fala de vacinação e de toxoplasmose entre outros temas da saúde - Foto: Alex Rocha
A Secretaria da Saúde promove, neste sábado (12), o Dia D de vacinação contra a gripe nos postos de saúde de todo o Rio Grande do Sul. A campanha nacional para a prevenção da transmissão do vírus foi tema da entrevista do secretário Francisco Paz, no programa Governo em Rede, transmitido pela Rádio Piratini, nesta quarta-feira (9). O surto de toxoplasmose que atinge a Região Central do Estado, a regularização no pagamento a hospitais e a planificação da atenção especializada à saúde com competência técnica e serviços amparados no modelo do Sistema Único de Saúde também foram assuntos abordados.

A mobilização para a vacinação contra a gripe visa a impedir a transmissão do vírus ao vacinar os 
considerados grupos de risco, que são idosos com 60 anos ou mais; crianças de 6 meses a 5 anos; 
gestantes e mulheres que deram à luz nos últimos 45 dias; portadores de doenças crônicas (cardíacas, 
pulmonares e neurológicas) com atestado médico; trabalhadores da Saúde; professores; e agentes de 
estabelecimentos prisionais e a população encarcerada.

Atualmente, há registro de sete casos notificados de gripe, e, até o momento, não houve mortes. “Precisamos que toda população-alvo (3,2 milhões) esteja vacinada até 1º de junho. Hoje, já temos 
aproximadamente 36% do grupo vacinado no estado. Movimentos como este, no Dia D, nos ajudam a 
chamar a atenção e acentuar a importância da vacinação para todas as pessoas que compõem os 
grupos de risco, pois assim se evita transmitir o vírus e se protege a todos”, afirmou Francisco Paz.

Conforme o secretário, com a vacina temos a diminuição pela metade da necessidade de hospitalização e redução em até 70% do número de complicações e baixas no número de mortes. “A gripe é uma doença aparentemente normal, mas quando atinge determinados níveis de propagação pode causar um grande número de mortes”, disse Paz, que citou as epidemias das gripes espanhola, asiática, de Hong Kong e a última pandemia de 2009.

A partir da vacinação, a imunização se inicia no período de dez dias. A recomendação é de que as 
pessoas que não são dos grupos de riscos busquem ser vacinados em clínicas particulares até o início do inverno, momento de maior transmissão do vírus que pode ser fatal. Entre as recomendações da 
Secretaria da Saúde estão hábitos de higienização e a chamada 'etiqueta da gripe', que sugere hábitos 
como utilizar a dobra do antebraço para abafar partículas de espirros, evitar ambientes fechados e 
uso de lenços de pano.

Prevenção a toxoplasmose

Desde março, a Secretaria da Saúde monitora pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde o número de 
casos de toxoplasmose na Região Central do estado, principalmente no município de Santa Maria. “É importante que se saiba que metade da população já teve contato com a doença, que é endêmica, e ocorre em surtos por alguma razão. O número de pessoas que adoecem é muito grande”, alertou o secretário.

A toxoplasmose é uma doença produzida por um protozoário eliminado pelas fezes de gatos e pode ser transmitida pela água, ingestão de carnes mal cozidas e legumes ou vegetais que não estejam suficientemente higienizados. Para a população em geral, 20% dos pacientes podem ter problemas 
oculares como inflamação da retina. Os riscos mais danosos são para gestantes, que vão desde o aborto até má formação congênita, que causa cegueira, afeta o sistema nervoso central e/ou prejudicar o desenvolvimento do feto.

Francisco Paz disse que até o momento 680 notificações foram recebidas, das quais 421 são suspeitas e 176 confirmadas em laboratório. Mais 219 estão em investigação e só 26 foram descartadas. Dos casos confirmados, 20 eram ou são notificados em gestantes, mas duas tiveram contaminação e um caso de aborto.

“Entre os cuidados está a alimentação dos gatos, que devem ser alimentados por ração, e evitar que 
cacem outros animais para não ingerir carne contaminada. Além disso, as fezes devem ser manipuladas com cuidado. As caixas devem ser limpas com o uso de luvas e evitar o contato com a areia. Às grávidas, sugerimos que se evite o contato com esses animais”, disse.

O programa Governo em Rede, transmitido às quartas-feiras, foi apresentado pela jornalista Andrea 
Martins e Heron Vidal. A edição sobre Saúde pode ser conferida aqui.

Texto: Letícia Bonato
Edição: Léa Aragón/ Secom

Secretaria de Comunicação do Estado do Rio Grande do Sul